Como Montar uma Fábrica de Tênis de Corrida

Como Montar uma Fábrica de Tênis de Corrida

A fabricação de tênis de corrida envolve todo um processo tecnológico que compreende em desenvolvimento do calçado, adaptações, moldagem e materiais utilizados.

São realizados desenhos, testes, construção e fabricação do calçado de acordo com normas técnicas e estudos.

Geralmente os tênis de corrida são fabricados por grandes marcas que estão dentro do mundo esportivo.

As etapas conferidas a um tênis de corrida são:

Estabilidade;
Conforto;
Amortecimento;
Leveza;
Competição e outros.
É muito importante o teste da pisada, pois é nele que muitos erros podem ser averiguados e modificados de acordo com as necessidades.

Projetos, Plantas, Planos de Negócios para Financiamento:
Clique aqui ou ligue 35.3721.8484  (WhatsApp 35.99704.7091)

Os preços desses tipos de tênis são altos, pois engloba muitas etapas que vão desde a:

Tecnologia empregada;
Fabricação;
Materiais;
Estudos;
Testes e muitos outros fatores.
A s etapas do desenvolvimento são realizadas por camadas que são as que compõem a montagem do tênis.

Essas camadas são:

Palmilhas;
Solado;
Gel;
Bolhas de ar;
Entre outras.


Os tênis podem ser de:

Couro;
Lona e tecido próprio como malha de nylon.
Devem acomodar os pés de forma confortável e garantir o treino e a utilização adequada.

Os tênis desenvolvidos para corrida devem ser próprios para a prática por causa do impacto.

 

Clique abaixo para saber mais sobre Fábrica de Tênis de Corrida

Planta Baixa de Fábrica de Tênis de Corrida

Projeto de Loja de Tênis

Como Montar Oficina para Conserto de Tênis


Projetos, Plantas, Planos de Negócios para Financiamento:
Clique aqui ou ligue 35.3721.8484  (WhatsApp 35.99704.7091)


Devem acomodar os pés de forma segura e não apertada.

Possuir espaço para que o pé possa se mexer.

Não pode ser escorregadio de forma alguma.

Leveza e flexibilidade com leve rigidez também comporão o calçado.

Dentro do laboratório de desenvolvimento, muitos testes devem ser avaliados.

Cada funcionário tem uma função particular no desenvolvimento do calçado e no final essas funções têm que se juntar para que o calçado tenha o objetivo único.

Modernas máquinas para medir com precisão o impacto, computadores de última geração devem compor o setor de fabricação desse instrumento fundamental na pratica esportiva.

Os moldes devem ser criados em diversos tamanhos que geralmente vão da numeração 34 ao 44 ou até mais.

Os designers procuram inovar a cada coleção com cores intensas, combinações extravagantes e neutras.
Os testes são aplicados nas peças já semi prontas ou prontas.

Onde os testes de impacto são observados desde o inicio do toque no chão até o desprendimento do pé totalmente.

As espumas utilizadas como matéria prima são cortadas e milimetricamente pesadas para o inicio da fabricação do calçado.

Após esse processo são encaminhadas para moagem e inicio da fabricação do solado em moldes próprios.

Projetos, Plantas, Planos de Negócios para Financiamento:
Clique aqui ou ligue 35.3721.8484  (WhatsApp 35.99704.7091)

Também é utilizada como matéria prima a borracha que tem o efeito antiderrapante e impacto de acordo com a necessidade que o calçado apresenta.

Montados os solados geralmente coloridos os tênis são elaborados em outra etapa que é a análise do impacto e dos testes de pisada e corrida.

O intuito é amenizar ao mínimo esse impacto.

O calcanhar e o meio do pé são as partes mais impactantes, por isso devem compor de solado emborrachado e flexível com a maciez adequada.

Outro departamento da fábrica deve elaborar e iniciar a produção das placas de gel que compõem as palmilhas anatômicas.

Essas placas vão integrar as palmilhas e o soldo do calçado.

Esse processo é feito em etapas de automação e utilização de mão de obra humana também.

A colagem e finalização desse processo têm que ser de forma observadora, portanto a mão de obra humana é indispensável.

Após conferência o material é encaminhado para o setor de montagem do tênis, onde também são conferidos todos os detalhes e novos testes anatômicos.

O setor de costura e acabamento é como um setor de confecção normal, porém com algumas modificações e equipamentos adequados para a costura dos materiais utilizados.

A terminação e finalização da construção de um tênis de corrida então são a partir do momento que a montagem é feita com o solado e a parte de tecido e ou outro material conferindo a anatomia perfeita.

Esse processo também é manual.

O calçado é colocado em moldes para finalização.

O tênis então passa pelo processo de conferencia de numeração, materiais, colocação de cadarços, cores, modelos e outros tantos detalhes e é liberado para o setor de embalagem.

É embalado em caixas de papelão com papel de seda para a conservação adequada.

Desse setor o produto então é enviado para o depósito de produto embalado e está pronto para ser vendido.

As fábricas devem dispor de sites para demonstração e venda do produto, representantes comerciais e utilização de propaganda e divulgação da marca juntamente com o setor esportivo.

Geralmente uma fábrica desse porte deve ser instalada em grandes locais com muito espaço e abriga um número de funcionários grande também para o desempenho de todas as funções.

Projetos, Plantas, Planos de Negócios para Financiamento:
Clique aqui ou ligue 35.3721.8484  (WhatsApp 35.99704.7091)

Os tênis de corrida podem ser nas versões femininas e masculinas, coloridas e em diversos números para atender o publico em geral.

Algumas marcas e grandes fábricas de tênis esportivos também incluem na fabricação outras peças como:

Roupas para ginásticas e praticas esportiva;
Meias;
Agasalhos;
Acessórios;
Bonés e viseiras;
Bolsas;
Mochilas;
Luvas fitness entre outras.
Os tênis podem ser para o atendimento de diversos tipos de corredores desde velocistas, maratonistas, esportistas, corredores de meias distâncias e corredores de trilhas.

Para cada tipo de corredor um tipo de tênis adequado.


Exemplo de Fábrica para Produção de Tênis de Corrida com Capacidade de Produção de 5.000 unidades por dia.

 

Recepção de Matéria Prima;
Depósito de Matéria Prima;
Sala de Cortes;
Sala de Montagem (Costura e Acabamento);
Revisão e Embalagem;
Depósito de Produtos Acabados;
Expedição;
Escritório;
Vestiários e
Refeitório