ComoIniciar! Fone 35.3721.8484

Como Montar uma Nova Empresa

Como Montar Fábrica de Preservativos

Clique abaixo para saber mais sobre Fábrica de Preservativos

Planta Baixa de Fábrica de Preservativos

Projeto de Laboratório de Higiene

Como Montar Fábrica de Preservativos

A história dos preservativos tem origem na antiguidade pelos Romanos.

Eles utilizavam um tipo de proteção elaborado a partir de intestinos de animais ou pele para não contrair doenças sexualmente transmissíveis.

Doenças como sífilis matava muitas pessoas na idade média e daí surgiu à idéia desse tipo de proteção.

Com o tempo foram surgindo outros materiais e outras propostas de fabricação de preservativos como a elaboração a partir do linho, tripa de carneiro, tentativas de utilização de óleos lubrificantes e ervas para amenizar o atrito e proteger o pênis de doenças da época.

Outra tentativa meio que frustrada em outra época foi à elaboração da camisinha e ou preservativo de borracha que tanto eram desconfortáveis, como eram pouco higiênicos pois eram reutilizados após lavagem.

Os preservativos de látex então só foram descobertos e fabricados lá pelos anos de 1930.

Não era muito eficaz devido a sua elasticidade e elaboração de materiais como método contraceptivo.

Podia se romper com facilidade e também não tinha nessa época propagandas em torno de cuidados com a contração de doenças.

Por esses motivos ela foi deixada de lado por muitas pessoas e com a invenção e expansão da pílula anticoncepcional que teve sua ascensão nos anos 70 a camisinha e ou preservativo perdeu o lugar definitivamente.

Por volta dos anos 80 e 90 o uso de preservativos voltou com tudo. Era a AIDS que ameaçava silenciosamente e o uso foi então iniciado novamente.

O látex que é o material responsável pela fabricação dos preservativos é extraído de seringueiras.

Só que para ganhar a elasticidade que necessita para se transformar em finas peças como os preservativos ou camisinhas como são conhecido ele tem que passam pelo processo de vulcanização.

Esse processo é o aquecimento da borracha, isto é:

Esse material tem que ser misturado a outros componentes químicos para que possa acelerar esse tipo de reação.



Todo o processo de fabricação é automatizado, necessitando de funcionários para a administração dos equipamentos e tempo de execução.

Nessa linha de processo o produto passa a ser confeccionados em moldes de diversos tamanhos, testes de resistência, aceleração do calor para produção da película bem lisinha, escovação e formação da bainha que é aquele acabamento enroladinho, secagem e lixiviação que consiste na imersão do produto em um tanque com ingredientes químicos para retirada de partículas que podem ser causadoras de processos alérgicos nos usuários.

Os preservativos então são encaminhados para um processo de aplicação de talco ou amido que passam a ter a textura mais seca e novamente é encaminhada aos testes de qualidade e resistência.

Estes testes têm a finalidade de levar o produto a sua eficácia e um deles pode ser o teste de furos. Onde o preservativo é colocado nos moldes e nele é aplicada uma corrente elétrica se não correr energia na sua superfície é porque o material está em perfeitas condições isto é: sem furos.

Outros testes como o de resistência com enchimento de ar, pressão e líquidos também são executados em algumas amostras de todos os lotes.

O preservativo então é encaminhado para um equipamento em que já enrola e passa para outro onde o produto recebe gotas de substância lubrificante.

Esse tipo de material é utilizado por diversas culturas para evitar a disseminação de doenças sexualmente transmissíveis muito mais do que como proteção contraceptiva.

Para isso as descobertas de novos materiais ajudaram as pessoas a utilizarem melhor e trazer o conforto na utilização.

As fábricas investiram em tecnologia, materiais e lubrificantes alergênicos.

Alguns tipos de preservativos mais conhecidos são os lubrificados com óleo de amêndoas e ou silicone.

As aromatizadas, saborizadas, texturizadas, sensíveis, musicais, anestésicas, coloridas, enfim uma gama de novidades foi ao conhecimento do publico.

Tem uma infinidade de tipos de preservativos para venda nos dias de hoje como as saborizadas.

Essas podem ser encontradas em sabores Morango, Menta, Chocolate, Uva, Tutti- Frutti e outros.

As lubrificadas e as com espermicidas.

Desde ao início da utilização de preservativos entre 1600 e os dias atuais, muitas modificações foram feitas.

Materiais, Tamanhos, texturas entre outros.

A fábrica de preservativos deve possuir laboratório para testes de qualidade.
Isso garantirá a elasticidade do produto e fará com que ele possa realmente ser eficaz no auxilio a prevenção de doenças e no ato de concepção não desejada.

Esses testes poderão ajudar na detecção de furos, espessura, largura e informações básicas que deverão acompanhar o produto.

O teste é efetuado eletronicamente em moldes metálicos se houver possíveis furos o material vai ser rejeitado e descartado do lote impossibilitando para venda ao consumidor.

O material utilizado como substâncias químicas do tipo espermicidas e lubrificantes podem causar alergias, também devemos ressaltar que 1% da população podem desenvolver alergias ao látex.

Sendo assim essas pessoas devem procurar não utilizar esse tipo de material, pois agravará o problema.

Existem materiais importados que dão menos alergias como o poliuretano.

Porém este material se torna mais caro e isso faz com que se torne o uso mais difícil.

Os preservativos devem possuir o selo de garantia do Inmetro que dará a certificação de que testes foram executados e assim o uso poderá ser com maior chance de segurança.

As embalagens devem ser escuras, isso impede que o material sofra com a ação de contato com a luz, podendo ressecar.

O armazenamento também deve ser em local fresco e seco.
Longe de luz, umidade e calor.

Instruções quanto ao material utilizado na confecção dos preservativos, cuidados no armazenamento e colocação do produto também devem fazer parte da embalagem.

A fábrica também poderá fabricar os preservativos femininos.
Eles não são muito bem aceitos ainda, pouco populares e com falta de divulgação adequada.

Este material é tão eficiente como os preservativos masculinos, porém a instrução quanto à colocação, uso e eficácia ainda não fazem parte do cotidiano das pessoas em geral.

Todo tipo de preservativo seja ela masculino e ou feminino possuem as seguintes vantagens:

São baratos, Higiênicos, não causam problemas de saúde nem contra - indicações, podem ser compradas em diversos lugares como farmácias, drogarias, supermercados, lojas de conveniências entre outros e são fáceis de carregar.



Projeto de Fábrica para Produção de Preservativos com Capacidade para 1.000 Unidades/dia.

Recepção;
Depósito de Matéria Prima;
Fabricação;
Embalagem Primária;
Embalagem Secundária;
Depósito de Embalagem;
Depósito Final;
Expedição;
Escritório;
Vestiário e
Refeitório.

 

Para saber mais ligue para 35.3721.8484

 

Como Montar Fábrica de Preservativos

 

 

Plantas e Layouts relacionados com Fábrica de Preservativos

Clique abaixo para saber mais sobre Fábrica de Preservativos

Fábrica de Preservativos

Laboratório de Higiene

Fábrica de Preservativos

 


   

Fale Conosco
Entre em contato conosco para informaçoes, para uma consulta ou para adquirir um projeto que não conste na lista acima.